ÓLEO DE PRACAXI (Pentaclethra macroloba)

USOS E BENEFÍCIOS:

O óleo de pracaxi se destaca como uma das melhores opções para o cuidado da pele. Essa qualidade está associada aos elevados teores de ácido behênico (18 a 21%) e lignocérico (13 a 16%) presentes nesse óleo, o que o caracteriza como um poderoso emoliente por promover elasticidade, hidratação e regeneração celular. Ajuda a prevenir o aparecimento de estrias e  auxilia no clareamento de manchas da pele, como o melasma. É usado como tratamento para rosácea, eczema e psoríase. Tem efeito importante na regeneração celular reduzindo cicatrizes pós operatórias e advindas de acne. No tratamento do cabelo, facilita o penteado, aumenta o brilho e evita quedas. O óleo é extraído com o método de prensagem a frio. Sua cor varia do amarelo translúcido ao marrom dourado. Possui um aroma suave e amendoado. Tem propriedades antifúngicas, antibacterianas e antissépticas que aliviam a coceira e a vermelhidão.

ESPECIFICAÇÕES:

NOME DO PRODUTO: Óleo de Pracaxi

CÓDIGO DO PRODUTO: G019 – 5KG / G020 – 10KG

INCI: Pentaclethra macroloba seed oil

MÉTODO DE MANUFATURA: prensado a frio

PAÍS DE ORIGEM: Brasil

TAMANHOS DA EMBALAGEM: a definir

NÚMERO CAS# 866620-18-0

NÚMERO EINCS: não listado

NCM 1515 90 90

TAMANHOS DA EMBALAGEM: 5kg e 10kg

EMBALAGEM SECUNDÁRIA:  não definida

ARMAZENAGEM: manter a embalagem bem fechada, armazenada em local fresco, ventilado e protegido da luz.

PRAZO DE VALIDADE: em condições normais de armazenamento, 24 meses após a fabricação.

MANTEIGA DE PRACAXI – ESPECIFICAÇÕES
CARACTERÍSTICAS UNID VALORES
Aparência (25ºC) sólida
Cor amarela / translúcida
Odor característico
Índice de acidez mg NaOH/g < 10,0
Índice de peróxido meq O2/kg < 10,0
Índice de iodo g I2/kg 50 a 77
Índice de saponificação Mg KOH/g 175 – 188
Índice insaponificável % < 1,5
Densidade  25ºC g/ml 0,9217
Índice de refração (40ºC)   1,461
Ponto de fusão ºC 18,5

ÁCIDOS GRAXOS

Ácido láurico % Peso 0,8 – 1,8
Ácido mirístico (C14:0) % Peso 1,0 – 1,8
Ácido palmítico (C16:0) % Peso 1,5 – 3,0
Ácido esteárico (C18:0) % Peso 1,5 – 3,0
Ácido oleico (C18:1 – ômega 9) % Peso 40 – 50
Ácido linoleico (C18:2 – ômega 6) % Peso 1,8 – 3,0
Ácido linolênico (C18:3 – ômega 3) % Peso 2,0 – 4,0
Ácido behênico (C22:0) % Peso 18,0 – 21,0
Ácido lignocérico % Peso 13,0 – 16,0
Saturados % 50
Insaturados % 50

DESCRIÇÃO BOTÂNICA:

O Pracaxi, (Pentaclethra filamentosa Benth. ou P. macroloba [Willd.] Kuntze), é encontrado em todo o Brasil setentrional, Guianas, Trinidad e algumas regiões da América Central. Na Venezuela, chamam-no de palo-mulato; na Guiana Francesa, bois amarante, e no Brasil, o seu nome mais comum é pracaxi.

É uma árvore de tamanho médio, que cresce de preferência em terrenos úmidos, na beira dos rios e ilhas baixas do Amazonas. Suas flores pequeninas formam um penacho branco muito gracioso. O seu fruto é uma vagem de 20-25 cm de comprimento, encurvada, de cor verde, que muda para pardo-escura quando madura. É formada por duas faces cartilaginosas, quase lenhosas, fortemente deiscentes que, quando as sementes estão maduras, abrem-se abruptamente projetando-as à distância. Nas árvores à beira dos rios, as favas caem na água, flutuam e são comidas por peixes e tartarugas; mas, se caem em terra firme, são procuradas por diversos animais selvagens para alimento.

A fava de pracaxi é constituída por dois cotilédones achatados, um pouco ovais, e com um lado pontiagudo. A massa da semente é pouco consistente, como a de um feijão comum, de cor branca e oleosa. A fava é envolvida por uma casca fina, fácil de separar-se e frágil, de cor pardo-avermelhada. A fava de pracaxi quando seca (umidade 45%), pesa em média oito gramas e é composta de 10% de casca e 90% de amêndoa oleosa.

A fava inteira contém 45% de óleo e a sua porcentagem na fava descascada é de 51%.

O óleo de pracaxi é de cor amarelo-clara. Ele é líquido à temperatura ambiente e depois de algum tempo no depósito, libera grande quantidade de gordura sólida e branca.

A baixa acidez notável deste óleo e seu gosto e cheiro pouco pronunciados tornam o seu processo de refinação muito simples. O óleo, devidamente refinado, presta-se muito bem para o preparo de manteigas vegetais se misturado a gorduras em ponto de fusão mais elevado.

JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
                       
       PERÍODO DE COLHEITA   BAIXA ESTAÇÃO    

REFERÊNCIAS:

Pesce, Celestino. Oleoginosas da Amazônia, Belém, Brasil, Museu Paraense Emílio Goeldi, 2009.

Pennick, G. et al. “The effect of an amphiphilic self-assembled lipid lamellar phase on the relief of dry skin.” Int J Cosmet Sci 34(6), 567-74, 2012.

Ni, Raghallaigh. et al. “The fatty acid profile of the skin surface lipid layer in papulopustular rosacea.” Br J Dermatol 166(2), pp. 279-87, 2012.

Banov, D. “Case Series: The Effectiveness of Fatty Acids from Pracaxi Oil in a Topical Silicone Base for Scar and Wound Therapy.” Dermatology and Therapy 4.2, pp. 259–269, 2014.